sábado, 29 de janeiro de 2011

Escolas partidas

Um homem desejoso de estudar, e que não consegue encontrar estudo, talvez seja o espetáculo mais triste que a desigualdade e o preconceito ostenta.
Thomas Carlyle
Antigamente as escolas mostravam todas as suas vantagens para convencer os pais a colocarem seus filhos nelas. Hoje, são os pais que têm de convencer as ricas escolas de que seus filhos precisam delas. Decadente.
Bonjour!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O tempo gotejando do telhado

A maioria dos homens, quer possuir amigos tais como eles próprios não seriam. Exigem o que não têm. O que é justo é que, primeiro sejamos homens de bem e, em seguida, procuremos o que nos pareça sê-lo.  
Marcus Cícero
Bonjour!

Aquário de medusas

A vida não elege o seu mundo, mas viver é encontrar-se, imediatamente, em um mundo determinado e insubstituível: neste de agora. O nosso mundo é a dimensão de fatalidade que integra a nossa vida. Não somos arremessados para a existência como a bala de um fuzil, cuja trajetória está absolutamente pré-determinada. A fatalidade em que caímos ao cair neste mundo – o mundo é sempre este, este de agora – consiste em todo o contrário. Em vez de impor-nos uma trajetória, impõe-nos várias e, consequentemente, força-nos... a eleger. 
Ortega y Gasset

domingo, 23 de janeiro de 2011

No parapeito do poço

A natureza deu-nos a amizade, não como cúmplice do vício, mas como auxiliar da virtude. É preciso, antes, conhecer bem, porque repentinamente, à menor ofensa, a amizade quebra-se a meio do caminho...
Marcus Cícero
Bonjour!


sábado, 22 de janeiro de 2011

Girassóis ao sol

Havia uma aragem breve que trazia esse perfume 
durante um instante de que não se distingue o fim,
porque, depois do fim, permaneceu a memória.
José Luís Peixoto
Bonjour!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Guia do labirinto

Uma sombra segue-nos 
E sempre que paramos
caímos.
Jim Morrison, in Abismos/ pag. 40



A shadow follows us
And each time we stop
we fall.

Fios de cânhamo

As pessoas precisam de fios. 
Escritores, heróis, estrelas, dirigentes 
para dar sentido à vida. 
O barco de areia de uma criança virado 
para o sol. 
Soldados de plástico na guerra suja 
em miniatura. 
Fortalezas. 
Navios de guerra de garagem. 
Rituais, teatro, danças, 
para reafirmar as necessidades tribais e memórias.
Jim Morrison, in "Abismos"


People need connectors
Writers, heroes, stars, leaders
To give life form.
A child's sand boat facing 
the sun.
Plastic soldadiers in the miniature
dirt war.
Forts.
Garage rocket ships.
Ceremonies, theatre, dances
To reassert tribal needs & memories.

sábado, 15 de janeiro de 2011

A flauta, a gangorra e o pião

É preciso repensar a nossa vida. Repensar a cafeteira do café, de que nos servimos de manhã, e repensar uma grande parte do nosso lugar no universo.  Numa forma simples, essa maneira de redimensionar o mundo passa por um aspecto muito profundo, que não tem nada a ver com aquilo que existe à flor da pele. Tem a ver com uma experiência radical do mundo, como aquela de passar três dias como se fosse cego. Por mais atento que se seja, há sempre coisas que nos escapam e que só podemos conhecer de outra maneira, através dos outros sentidos, que estão menos treinados… Reconhecer a casa através de outros sentidos, como o tato, por exemplo. Isso é outra dimensão, dá outra profundidade. E a casa é sempre o centro e o sentido do mundo.
Al Berto

O gengibre, o pistache e a papoula

Ao pegarmos num fruto delicioso, será justo pretender respirar ao mesmo tempo o perfume da flor? 

Uma certa vivacidade de impressões, mais dependentes da sensibilidade física, decresce com a idade. O meu espírito tem hoje uma segurança muito maior, uma maior capacidade de fazer associações e de se exprimir. A inteligência cresceu, mas a alma perdeu parte da sua elasticidade e irritabilidade. Foi preciso passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil para chegar a esta segurança e maturidade do espírito. Talvez os grandes homens - é o que eu penso - sejam aqueles que, numa idade em que a inteligência já possui a sua plena força, ainda conservem parte dessa impetuosidade das impressões, que é própria da juventude. 
Eugène Delacroix

Bonjour!


quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Chá de flores múltiplas

Palavras a perseguirem um eco que nunca alcançavam.
José Luís Peixoto

Beba na ante-sala da inquietude o último gole de teu concerto inacabado. Após o brinde, dance com flamingos todos os risos afogados na sopeira dos parvos e, acrescido de sí, germine lilases e jasmins que já é dia.
Foquinha
Bonjour!


terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Tom Waits - Blues Valentines

Tom Waits é um daqueles caras que nascem com vários talentos. Ele é músico, instrumentista (piano e guitarra desde os 10 anos de idade), compositor, cantor e ator consagrado. Sua carreira é longa e não está presa a um único estilo musical. Waits transita com maestria entre Jazz, Rock, Blues, Folk e outros tantos gêneros. São mais de 40 anos de estrada, 30 álbuns e mais de 50 participações em filmes, como ator e compositor de trilha sonora. Já embolsou dois Grammys pelos álbuns Mule Variations e Bone Machine. Suas músicas são cheias de personalidade devido às letras instigantes que harmonizam perfeitamente com sua voz rouca e grave, afinada com cigarro, café e bourbon.

Bonjour Tom!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Toda a sílaba soletrada cintila

"Aprender a ler, é alumiar com fogo; toda a sílaba soletrada cintila. De resto, quem diz luz não diz, necessariamente, alegria. Também se sofre com a luz; em demasia queima. A chama é inimiga da asa. Queimar-se sem deixar de voar, é o prodígio do génio." 
Victor Hugo, in 'Os Miseráveis' 

Obrigada pelos 27 mil mergulhos!

"Ainda te levarei, amor, para comer nozes frescas na montanha e pendurar cerejas nas orelhas como se fossem flores ou rubis. Ainda te levarei àquela casa onde floriam lilases e serpentes, tão claras quanto a água deslizavam ao pé das macieiras. Te mostrarei três lagos no horizonte, três queijos maturando numa adega, três lesmas escondidas sob um vaso. Estará tudo lá à nossa espera, morangueiras quebradas e lagartixas." 
Marina Colassanti

Bonjour et merci mes amis!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Mais cedo do que as horas

"Encostando o ouvido no solo, às vezes se ouve uma porta que bate."

Ítalo Calvino

Uma gota de bálsamo na úlcera da existência

"A miséria impediu-me de acreditar que tudo vai bem 
sob o sol e na História, 
o sol ensinou-me que a História não é tudo."


[Albert Camus morreu em 04 de Janeiro de 1960.]

Lewis Hine- Against Child Labor
















"If I could tell the story in words, I wouldn’t need to lug around a camera."
[Lewis Hine]

Bonjour Lewis!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails